sábado, fevereiro 25, 2017

Hell or High Water (2016)

Reza um (o) poema agreste, que não se sabe porque se busca palavras longas para as coisas breves que nos assombram, que não se sabe porque se tece teias enormes para as incertezas que nos envolvem. E é exactamente a simplicidade - que só se consegue através de muito trabalho -, ingrediente essencial para a suprema excelência, que faz de "Hell or High Water" um filme que se destaca dos restantes. Entre o último reduto da experiência de Jeff Bridges e a derradeira força de uma química improvável - o cada vez mais maduro Chris Pine e o singelo Ben Foster -, o drama do escocês David Mackenzie desenrola-se de forma tão serena quanto hábil, sem sobressaltos nem escapatórias fáceis, sem surpreender mas também sem desiludir. Não brilha, mas invertendo o ditado a seu favor, nem sempre é preciso algo reluzir para ser ouro. E eis como escrever meia dúzia de linhas sobre um filme única e exclusivamente através de uma pesquisa sobre o termo simplicidade num site de citações.

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Nas Nalgas do Mandarim - S04E04

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Nas Nalgas nos Óscares

EVENTO

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Mine Blowing

terça-feira, fevereiro 21, 2017

The People v. O. J. Simpson: American Crime Story (2016)

O que mais impressiona em "The People v. O. J. Simpson: American Crime Story", antologia criminal do canal de cabo FX sobre o julgamento mais mediático da história dos EUA, é a forma como o factchecking de quase tudo o que acontece no ecrã que parece demasiado surreal para ser verdade acaba por se revelar a mais pura das realidades através de registos disponíveis online em texto ou em vídeo. Num registo meramente factual e imparcial - o que é mais do que suficiente para perceber que "The Juice" era culpado até aos dentes -, Sarah Paulson, Sterling Brown e Courtney Vance brilham de maneira ímpar nos seus papéis, ofuscando o restante elenco liderado por Travolta, Cuba Gooding Jr. e David Schwimmer. Altamente recomendado.

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Nalgas Flash Review: Elle

domingo, fevereiro 19, 2017

Suits Spinoff?

"The long arm of the law is reaching back out to Gina Torres. TVLine has learned exclusively that a Suits spinoff centered on former cast member Torres — whose fan-favorite character Jessica Pearson was written out of the legal drama last September — is quietly being developed."

sábado, fevereiro 18, 2017

Prometem sempre tanto...

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

La La Land (2016)

Uma sonoplastia hipnotizante, uma banda-sonora apaixonante e um final lindíssimo, que foge sem medo a todas as convenções do género. De resto, tudo muito longo - uma hora e meia teria chegado para tanto cinema mas tão pouca história -, muito artificial - quase todos os momentos musicais da primeira hora caem de forma pouco autêntica no ecrã, arrancando Gosling e Stone num piloto semi-automático que pouca ou nenhuma química demonstra - , muito morno, sem rasgos de interpretação ou a audácia de mais silêncios - como a cena do jantar, provavelmente a única que permitiu à dupla do momento representar sem artimanhas técnicas do tão jovem quanto talentoso Damien Chazelle (que se estreou na realização com "Whiplash", na minha opinião uma epifania apoteótica entre o cinema e a música muito mais conseguida do que esta). Tanto Gosling como Stone já tiveram uma mão-cheia de papéis muito mais interessantes e desafiantes do que estes em "La La Land", pelo que não se percebe o burburinho instalado em Hollywood para que levem as estatuetas que deveriam abrilhantar este ano as estantes de Affleck e Huppert. As restantes, num filme que parece ter sido feito de propósito para os jurados dos óscares, vão cair lá todas, incluindo a mais cobiçada da noite. Podem tirar printscreen, a margem de erro é zero.

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Nas Nalgas do Mandarim - S04E03

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

La Madre Buena

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Gone Girl (2014)

Qual clássico perdido de Hitchcock sobre o desaparecimento/assassinato de uma mulher, apimentado com uma tensão psicossexual moderna que só um génio como David Fincher poderia filmar sem a banalizar, "Gone Girl" é um filme que se divide em dois momentos completamente distintos. Sem spoilers - pois quanto menos souberem melhor -, eis um portento produto de realização, uma adaptação imaculada de um livro complexo que nos mantém agarrados ao seu mistério do primeiro ao último minuto. Uma representação tremenda de Rosamund Pike, num enredo que brinca com a nossa percepção do que se passou e do que se pode vir a passar, entre twists tão obscuros quanto brilhantes. Meticuloso, credível e sem pressas. Como qualquer bom mistério deve almejar ser.

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

Nalgas Flash Review: Blair Witch

domingo, fevereiro 12, 2017

Khal Wick

sábado, fevereiro 11, 2017

Legado Bauer

Não é um legado fácil. Jack Bauer e qualquer uma das nove temporadas em que participou marcaram a televisão de uma forma inolvidável, com o seu estilo único a nível técnico e narrativo. Poucas foram as séries que causaram tanta controvérsia política, social e moral nos EUA, um verdadeiro fenómeno cultural complexo e multidimensional fora do ecrã, entretenimento de excelência dentro dele, onde a carência de regras e clichés narrativos garantia uma imprevisibilidade deliciosa, que não deixava ninguém a salvo de um final menos feliz. Para este reboot tinha mais dúvidas do que certezas: continuaria a série a ser tão fria e cruel como antigamente? E, acima de tudo, teria o novo Bauer, agora chamado Carter (Corey Hawkins), o carisma necessário para calçar as botas pesadíssimas de Kiefer Sutherland? Sabem que mais? É cedo para ter a certeza, mas este pontapé de saída foi muito melhor do que eu estava à espera. Estou com fé nisto, malta! E metam lá um cameo do nosso amigo Bauer algures durante as próximas onze horas, se faz favor!

sexta-feira, fevereiro 10, 2017

Nas Nalgas do Mandarim - S04E02

quinta-feira, fevereiro 09, 2017

Arrival (2016)

"Arrival" é um sci-fi agridoce: visualmente tão competente quanto limpo e sereno - e como isto é raro nos dias que correm, repletos de blockbusters com frames a quebrarem a velocidade da luz para disfarçarem as suas lacunas -, narrativamente um drama apocalíptico muito mais superficial do que parece, numa primeira parte com uma mão cheia de ideias interessantes mas uma segunda completamente orquestrada e montada em prol da conveniência de um MacGuffin patético, esquecendo momentos-chave para que várias cenas da sua resolução fizessem algum sentido - dentro, claro, de um conceito temporal fantasioso. O canadiano Denis Villeneuve (que tem em "Prisoners" o seu melhor filme) está justamente nas boas graças de Hollywood mas é Amy Adams quem leva "Arrival" às costas, não fazendo qualquer sentido a sua ausência nas várias nomeações que o filme arrecadou para a próxima cerimónia dos óscares.

quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Também tu agora, Hulu?

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Quem nunca?

segunda-feira, fevereiro 06, 2017

domingo, fevereiro 05, 2017

Café Society (2016)

Espécie de pleonasmo: "Café Society" é o filme mais tradicionalmente Alleniano que Woody Allen realizou esta década, com o melhor não Woody Allen (Jesse Eisenberg) a fazer de Woody Allen de todos os Woody Allens que Woody Allen tem reciclado desde o genial Larry David em "Whatever Works". E por ser o mais tradicional, é também aquele em que o nova-iorquino menos arrisca sair da sua zona de conforto, numa história formatada e filmada em piloto automático, com belíssimos visuais dos anos trinta e um charme irresistível nos seus diálogos que combate a inocente previsibilidade da narrativa, num tom muito light onde Blake Lively, num papel secundário, dá quinze a zero a uma terrivelmente esforçada Kristen Stewart. Tudo muito simples, o que é mais do que suficiente para qualquer fã, como eu, do génio psicótico.

sábado, fevereiro 04, 2017

Vikander Croft? In.

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

Nalgas Flash Review: 7 años

quinta-feira, fevereiro 02, 2017

3 Idiots (2009)

Bollywood? Com um cartaz que parece ter sido pensado por uma criança de quatro anos? E um trailer que vende um musical daqueles repletos de cores e bling blings como os indianos tanto gostam? Tudo certo, tudo errado. "3 Idiots", o único filme indiano no conceituado (discutível, eu sei) top dos duzentos e cinquenta melhores de sempre do IMDb, é uma maratona de quase três horas repleta de sentimento e vida, qual fábula previsível, mas afectuosa e enérgica, sobre a força da amizade. Boa disposição, pouco espalhafato - contam-se pelos dedos de uma mão, talvez duas, os tais momentos musicais que caracterizam Bollywood -, muita diversão e uma mensagem envolvente e reconfortante para públicos de todas as idades e feitios. O poder de um sonho, o ardil de um dever, os caminhos estranhos de uma paixão, as dificuldades de uma mãe, as mágoas de um pai e a consolação do bem sobre o mal. O filme de Rajkumar Hirani toca ao de leve em quase todos os obstáculos de uma vida para orquestrar uma espécie de hino à amizade, uma comédia que enche o coração.